Pular para o conteúdo principal

Oposição pegou o beco após o resultado da eleição da Câmara

O bloco de oposição na Câmara Municipal de São Paulo do Potengi abandonou a sessão após o anúncio da eleição do vereador Diogo Alves para a Presidência da casa.

A única a permanecer foi a vereadora Telma Farias (MDB)

Ficou feio para os demais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Cabeças vão rolar

Um dos assuntos mais comentados nas rodas de conversas políticas nesse final de semana foi sobre os desdobramentos do rompimento do Vice-prefeito Erivan de Seu Elino com o Prefeito Naldinho. Já é tido como certa a exoneração do auxiliar direto do Prefeito na área de ambiental. O Secretário Municipal de Meio Ambiente, Rodrigo Amaro, que foi candidato a Vereador em 2016 e que deve ser de novo esse ano, é genro de Erivan. Também fala-se que o primeiro escalão não será o único afetado. Pelo menos um Secretário Municipal Adjunto deve sair, sem falar em cargos comissionados menos pomposos.

Alex Azevedo: a pedra no caminho do Peixe

O empresário Alex Azevedo foi uma surpresa agradável a muitos do grupo liderado pelo Prefeito Naldinho. O filho de Geraldo Macedo, em uma atitude até então inesperada, decidiu abandonar seu pupilo de 2016, o ex-vice-prefeito Eugênio Pacelli, derrotado por Naldinho naquele ano. Alex surgiu como nome forte em várias pesquisas realizadas pela situação e pela oposição, superando até antigos pré-candidatos. Porém, se tem alguém que não gostou bem dessa história foi Alexandre Peixe, atual Secretário de Administração e homem-forte do Prefeito Naldinho. Alexandre vinha fortalecendo seu nome para a disputa de 2020 e brigava dentro do grupo (com certa vantagem popular, porém com rejeições internas) para ser o candidato escolhido para representar a atual gestão municipal. Peixe e Alex até agora não chegaram a um consenso. Os dois querem ir para a disputa e ambos não abrem mão da candidatura (pelo menos é o que eles têm dito). Enquanto isso, Pacelli brilha os olhos só de pensar nessa disputa no gr

Folia Política no Potengi

O Carnaval de São Paulo do Potengi já virou tradição no RN. Folia na rua, blocos dos mais diversos tipos, kengas e até mela-mela. Mas, em ano de campanha municipal, quem da o tom são as conversas de bastidores que ocorrem debaixo das tendas armadas para se proteger da chuva prevista. Ou mesmo nas visitas que os pré-pré-candidatos (com dois pré mesmo) fazem aos possíveis eleitores. Os cochichados ocorrem enquanto o churrasco tá no ponto. As conversas se alongam e as especulações reinam. “Pode ser que”, “e se”, “mas se” são as expressões mais utilizadas ao se fazer referência ao pleito de outubro próximo. Fato conhecido é que o ano brasileiro só começa depois do Carnaval. Pois em São Paulo do Potengi o ano político eclode nessa época também. Dentre as especulações, dois grupos são pré-definidos: o de oposição continua na liderança do engenheiro Pacelli (para muitos, inclusive membros da atual gestão municipal, o grande favorito de 2020), que ainda já se preocupa em procurar um você pra c